Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Fabrício Soveral

Associação Empresarial de Pato Branco pede apoio da Câmara para agilização da emissão das carteiras de trabalho

Mariana Pegoraro Rosa é coordenadora do Núcleo de RH da Associação Comercial de Pato Branco

A Câmara Municipal de Vereadores teve como convidada, na última sessão plenária (5), a coordenadora do Núcleo de Recursos Humanos da Associação Empresarial de Pato Branco, Mariana Pegoraro Rosa. Ela falou sobre a possibilidade do retorno da emissão de carteiras de trabalho no município. O convite para a participação na sessão foi realizado pelo vereador Joecir Bernardi (SD).

Atualmente, quem precisa fazer a carteira de trabalho ou solicitar uma segunda via faz o pedido e entrega a documentação em Pato Branco, mas precisa aguardar alguns dias para ter o documento em mãos já que a confecção é realizada em uma agência de Francisco Beltrão.

Mariana alega que esse procedimento chega a levar de 20 a 30 dias o que dificulta para os empresários na hora de contratar. “Esse tempo é longo demais para quem está precisando contratar, por isso pedimos o apoio dos vereadores para ver o que pode ser feito para melhorar essa situação”, justificou a coordenadora do Núcleo de RH da Asssociação Empresarial.

Carlinho Antonio Polazzo (PROS) sugeriu que a Associação Empresarial envie um relatório para a Câmara Municipal sobre a situação junto com um pedido de providências. Baseado nesse documento os vereadores buscarão realizar uma mobilização política acionando deputados estaduais e federais em favor da reivindicação.

Os vereadores Joecir Bernardi (SD), Claudemir Zanco “Biruba” (PDT), Ronalce Moacir Dalchiavan (PP), Gílson Feitosa (PT) e Marco Pozza (PSD) se manifestaram no mesmo sentido e prometeram colaborar nessa mobilização política.

Uma das soluções apontadas é que as carteiras possam ser confeccionadas na agência do Sine em Pato Branco, inclusive porque alguns vereadores lembraram que receberam a informação no início do ano de que um servidor do Sine estaria sendo treinado para realizar o trabalho. A previsão é que o serviço começasse a ser realizado a partir do dia 1º de fevereiro deste ano, o que não aconteceu.